segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Parque do Povo

O Parque do Povo está localizado entre a avenida Cidade Jardim, avenida Nações Unidas e rua Henrique Chamma no bairro do Itaim Bibi, área nobre de SP. O espaço de 112 mil m² foi doado pela Caixa Econômica Federal ao Município de São Paulo, em 25 de agosto de 2006. A área sofreu com invasões por aproximadamente 20 anos e hoje é uma grande área de lazer de SP.

Adotado pela W Torre que acho, não fiscaliza o que está adotando, pois o parque tem muitos pontos a serem consertados.

A começar pela ciclovia que não começa desde o portão principal de entrada, o que torna uma enorme confusão entre ciclistas e pedestres. A confusão continua dentro do parque que por falta de sinalização indicativa os ciclistas andam também nos caminhos que deveriam ser dos pedrestres.


Outro ponto péssimo é a drenagem do terreno, grandes poças espalham-se após cada chuva, pois todos os jardins são feitos com solo argiloso, sem adição de areia, ou brita para escoamento das águas pluviais. O solo compactado não consegue absorver as águas das chuvas de verão. Vi muitos pontos principalmente na área dos brinquedos, onde poderiam ter sim caixas de areias ao invés de barro e grama inadequados para áreas de grande circulação.



O Jardim dos sentidos, que deveria ser para deficientes visuais, tem boa sinalização de chão, porém como não há manutenção nos canteiros, as plantas invadem a área de circulação podendo provocar quedas ao esbarrar nos arbustos que invadem a pista, sem falar dos enormes cactus, o que achei absurdo, onde os deficientes visuais se espetariam quando tocassem nos mandacarus.
Foto de Elena Soboleff


Canteiros invadidos por ervas daninhas ou completamente sem vegetação também são uma constante do parque. Plantas que morrem e não são retiradas,trepadeiras mal direcionadas sem suportes ou com suporte inadequado parecem tombar sobre os pedestres.



O Mobiliário (bancos) são de materiais e feitios diferentes nada harmoniosos e praticamente todos ao sol.


Pontos a favor: gramado bem cortado e equipamentos para ginástica com indicações adequadas ao uso e as quadras em bom estado.


Acho que precisa ser revisto o contrato de manutenção do parque. O parque com poucos anos de vida já precisa passar por uma enorme reforma antes que tudo se perca e os gastos sejam bem maiores.

Acho que a população paulistana, tão carente de áreas de lazer, precisa de um pouco mais de respeito.

8 comentários:

Vitoria Davies disse...

Chocante mesmo.. Até fui no Google para saber quem é essa W Torre que o adotou. Ironicamente, li no trecho sobre os Valores da empresa: "Respeito - Ao indivíduo, à comunidade, ao meio ambiente" ...

Marisa Lima disse...

É Vitória,
a W Torre fica ao lado do parque, mas eles infelizmente adotam somente para ter isenção de alguns tributos, ninguém fiscaliza nada.

Projeto Brigadas de Incêndio disse...

parabéns pelo seu BLOG, muito bacana...já estou seguindo!

Marisa Lima disse...

Obrigada aos novos seguidores.

Malice Miller disse...

É um horror: uma área que podia ser bem aproveitada por todos nesse estado...
Bjs e parabéns pelo post!

Marisa Lima disse...

Pois é Malice, lastimável. Um parque em uma área nobre, tão novo e tão abandonado.
Bjs

Dr. Diario disse...

Oiii precisamos movimntar o poder publico e incentivar a educacao, a manutencao dessas areas tao importantes ao nosso lase ao nosso bem estar!!! beijao

Frederico disse...

Que pena! Parece ter tanto potencial.

 
BlogBlogs.Com.Br