quarta-feira, 8 de abril de 2009

Diferença de valores na hora de fazer ou reformar um Jardim

Ao longo desses meus 30 anos de profissão vivi muitas coisas engraçadas e outras tristes.
Errei, aprendi e continuo aprendendo.
Ao fazer um orçamento para execução ou reforma de um jardim, sem ter um projeto único, fica muito difícil para um Cliente comparar os valores, pois se cada profissional idealizou um tipo de planta diferente em seu projeto, os valores serão diferentes. Mas são poucos os que entendem isso.
Acabei de fazer um orçamento onde o síndico queria que eu desenhasse todo o projeto – grátis e sem compromisso - para que ele visse como seria o resultado. Isso não existe: ou fornecemos o valor da reforma sem projeto, só a execução, ou o contratante compra o projeto e em cima desse estudo faz vários orçamentos com vários profissionais diferentes.
No início de minha carreira fiz um croqui do que seria um jardim de um edifício. O síndico disse não saber que plantas eram as que foram especificadas e me fez escrever seus nomes. Depois, pegou o meu projeto e forneceu para uma chácara criar o jardim. É claro, obteve um valor muito mais barato porque a chácara não teve o trabalho de desenvolver um projeto e de pensar na composição estética, além das exigências ambientais deste jardim específico.
As pessoas têm que valorizar o profissional de paisagismo, se desejarem um trabalho perfeito e com garantia.
Há Clientes que desejam “o menor preço” e não se preocupam com qualidade. Deste modo, o quiosque da esquina escolhe algumas plantas e preenche todo o restante do espaço do jardim com grama, pois fica mais barato. É claro que um orçamento destes é muitíssimo inferior ao de um paisagista. Mas deve ficar bem claro que a qualidade é também infinitamente menor.
Escrevo isto para que os iniciantes na profissão não caiam em “armadilhas”, desvalorizando seu projeto para ganhar uma concorrência. Quem entende, sabe dar valor a um bom trabalho, e se você tem um trabalho bom e criativo, aguarde que haverá aqueles que te darão o devido valor. Não vale a pena “fazer por fazer”.
É isso! Boa sorte aos iniciantes!

6 comentários:

Priscilla Paggiaro Gutierrez disse...

Marisa, que bom ler este post. Concordo plenamente. Eu sou iniciante e desde o primeiro trabalho, para amigos, fiz questão de cobrar o projeto. Conheço duas excelentes paisagistas que também sabem muito bem valorizar o planejamento. Todo trabalho deve ser reconhecido, não importa se venha das mãos de um profissional experiente ou não. Um grande abraço! Boa Páscoa para você!

Marisa Lima disse...

Oi Priscilla,
é isso mesmo. Se desde o princípio adotarmos esta conduta estaremos valorizando nossos estudos e nosso trabalho, isso em qualquer profissão.
Bjs e Boa Páscoa pra você também.

Maria Aguiar disse...

Oi Marisa, que ótima dica essa!
Isso também acontece muito com design de interiores e arquitetura. Sempre aparece algum espertinho querendo "um projetinho", "uma idéia", sem tem que pagar...
E é muito comum no início da carreira acharmos que isso pode nos trazer algum retorno, pura inexperiência!

Marisa Lima disse...

Oi Maria,
eh mesmo, isso acontece em todas as profissoes,por isso resolver alertar os iniciantes.
Bjs

Elena sem H disse...

Obrigada pelo incentivo! Estava começando em Sampa quando tive que me mudar. Ainda não sei se é definitiva a mudança, certamente a possibilidade de trabalhar fará a diferença, já que isso sim está claro para mim: adoro o verde e a sustentabilidade e viverei feliz sendo paisagista.

Beijos,

Elena sem H

Marisa Lima disse...

Oi Elena, novamente te desejo boa sorte.
É uma profissão apaixonante. Estamos a cada dia lidando com situações diferentes já que a planta se modifica a cada dia, cada estação.
Bjs

 
BlogBlogs.Com.Br